Estive pensando bastante nesses tempos sobre como o surgimento dos jogos de ritmo como Guitar Hero e Rock Band estão mudando a maneira como eu escuto musica.

Vale dizer aqui que sempre ouvi muito Rock, meus pais e meu irmão mais velho se asseguraram disso, e por isso conheço muita coisa antiga, ao ponto que fiquei legitimamente empolgado quando vi Aqualang na setlist de Rock Band 2.

ROCK ON BABY!

ROCK ON BABY!

 Ao mesmo tempo fico pensando que muita gente que joga Guitar Hero nem faz idéia de quem seja Ted Nugent, alias, aposto que alguns só sabem quem é Ozzy Osbourne por causa do reality-show da MTV. Por cada fã de metal ou de rock pesado que joga esses jogos deve haver ao menos 7 que nunca ouviram as musicas antes mas acham esses jogos muito divertidos e acabam conhecendo musicas novas por causa disso. Isso aconteceu comigo inúmeras vezes só com Rock Band, que eu comprei para um punhado de musicas e acabei passando mais tempo jogando outras que nem conhecia porque são divertidas de jogar. Nunca achei que fosse ter vontade de ouvir musicas de The Killers ou mesmo realmente curitr uma musica do Weezer, mas aconteceu.

Imagino que isso aconteça ainda mais com quem não está acostumado a ouvir rock, ou mesmo pop-rock, Guitar Hero e Rock Band tem um verdadeiro apelo com o publico mainstream, ou seja, pessoas que podem nem ser gamers ou fãs de rock e é por esse apelo acho que a afirmação que Guitar Hero salvou o rock pode ser verdadeira (embora meio exagerada) especialmente se pensarmos que uma banda como Dragonforce tornou-se tópico de conversa em lugares que não são a galeria do rock. Outro ponto é o fato que musicas antigas como More Than a Feeling ou Any Way You Want It estão sendo relançadas em 2008, coisa que era inimaginável cinco anos atrás.

Outro fator que mudou completamente a equação foi o acréscimo dos outros instrumentos, tocar a guitarra realmente fazia você sentir como um astro, mas não foi até jogar Rock Band que finalmente tive a experiência que eu realmente procurava. “Tocar” para os outros é divertido, mas tocar com outras pessoas passa uma sensação de cooperação muito maior do que em qualquer outro jogo de qualquer gênero, especialmente quando rola uma sincronia com um companheiro de banda, é algo que realmente empolga e diverte.

Isso sim é empolgação

Isso sim é empolgação

Hoje quando eu ouço musica sempre penso: será que essa musica é legal de tocar? Como será que fica a bateria nessa musica? Cadê o baixo? Enfim, o fato é que musicas velhas estão vendendo de novo, a industria de musica esta presentando mais atenção para os games, e o bom e velho rock está voltando, pode ser que ele comece com bandas como Paramore, mas eu tenho esperança que veremos novos Van Hallens ou mesmo um retorno do rock progressivo.

Próxima vez que eu falar de jogos de ritmo vou discutir os instrumentos de plástico.