Em um post recente no MTV’s Multiplayer Blog, Stiven Tottilo disse que Rock Band deveria ser considerado para o prêmio de melhor RPG do ano pela incrível capacidade de fazer o jogador se sentir um verdadeiro rockstar. Isso, porém não veio de graça, alias, custou bastante dinheiro para mim, pois para ter a verdadeira experiência de ser uma estrela do rock precisa-se dos “instrumentos” do jogo. Esses controles começaram nos árcades do Japão (onde os elevadores andam cheios de japoneses) mais ou menos na mesma época que surgiram os jogos de dança e não foi até a Harmonix lançar seu Guitar Hero que eles começaram a fazer sucesso no mundo ocidental, antes eram coisa de colecionadores e otakus. Com os novos instrumentos de Rock Band 2 e os de Guitar Hero: World Tour teremos muitas opções para controles em forma de instrumentos musicais, se levarmos em conta os feitos por terceiros i.e. madcatz e companhia.  

Fato é que Guitar Hero foi o primeiro jogo que realmente fez pegar os controles em formato de instrumento e até agora não tivemos nem uma edição dele sair sem que haja uma nova e melhorada “guitarra” com ele (tudo bem que no PS2 a guitarra do 1 e do 2 é a mesma, mas teve uma nova para o 2 de Xbox 360). Quando Rock Band surgiu com seus instrumentos tivemos um problema de compatibilidade já que o controle em forma de Fender Stratocaster não era compatível com nem um dos jogos da série Guitar Hero o que gerou uma certa segregação do mercado, pessoas efetivamente escolheram entre um ou outro como o jogo a se jogar. Agora com a nova geração das fraquias Guitar Hero e Rock Band os problemas de compátibilidade parecem ter se resolvido já que os instrumentos de Guitar Hero: World Tour são compatíveis com o Rock Band 2 e vice-versa. O site Joystiq fez o favor de complilar esses dados para facilitar o entendimento. De qualquer forma um dos maiores maiores medos que eu tinha foi resolvido, a quantidade de pseudo-instrumentos em sua casa agora depende basicamente de você e não mais dos jogos que você quer jogar.

Tendo comprado o kit completo de Rock Band 1 e o jogo do Rock Band 2 percebi que eles realmente ocupam bastante espaço e a pior coisa é q eles não são particularmente duráveis. Minha bateria já está começando a pedir chega, tive que fazer um sock-mod para segurar um dos “tambores”, o que é ruim porque o ela tem menos de um ano, a unica parte boa é que agora eu tenho um motivo para comprar a bateria do Rock Band 2 que tem slots para pratos que o que é bem legal. De qualquer forma essa é uma brincadeira que sai cara e por isso eu não posso recomendar para todos. Jogar com o controle não é mais aceitável hoje em dia.